Preparo:
40 min.
Cozimento:
20 min.
Pronto em:
540 min.

Na Nigéria, ele se chama “acará” mas, na antiga Bahia, as africanas vendendo o acará nas ruas anunciavam: “Acará Jé! Acará Jé” isto é: “Comer o acará! Comer o Acará!”. Daí a origem do nome desse ícone da culinária baiana.

Antes, eram fritos em casa, pequenos, mas depois passaram a ser fritos maiores num fogareiro a carvão ao lado do tabuleiro onde eram colocados a pimenta e outras iguarias, como o bolinho de estudante, a passarinha assada (o baço do boi), as cocadas e outros acepipes. Recentemente, passaram a incrementar o acarajé, adicionando nele o vatapá, os camarões secos e, por último, a salada vinagrete.

Como controlo a minha ingestão de alimentos e um acarajé completo pode passar facilmente das 400 Kcal., inventei com muito sucesso esta receita absolutamente inédita que me trouxe grande prazer e auto-estima pois todos aqueles que a provaram repetiram e me pediram logo a receita. O sabor é idêntico ao do acarajé frito, muito mais calórico.

Ingredientes:

  • 250 g de feijão fradinho
  • 1 cebola grande picada
  • 2 colheres (sopa) de azeite de dendê
  • 1 colher (sopa) de azeite de dendê para untar a assadeira
  • Farinha de trigo para polvilhar a assadeira
  • 1 xícara de camarões secos, sem as cabeças e pernas, muito bem picado
  • Sal a gosto

Modo de preparo:

1Demolhe o feijão por uma noite e o cozinhe até amolecer. Escorra bem.

2Amasse o feijão até obter uma pasta bem homogênea. Adicione a cebola finamente picada. Adicione as duas colheres de dendê, o camarão picado e o sal.

3Bata bem a massa para que cresça.

4Unte a assadeira, polvilhe a farinha e arrume colheradas da massa na assadeira.

5Escolha camarões secos maiores e os enfie de cabeça para baixo no topo de cada porção de massa.

6Asse em forno quente por uns vinte minutos ou até estarem firmes.

Serve:

4